Economia Compartilhada + internet: Uma fonte de renda!

Compartilhar faz parte do instinto do ser humano desde o início de sua história. É ele quem norteou os princípios da vida em sociedade até que as oportunidades de compartilhamento virassem o famoso “escambo”, a grande ação econômica da humanidade até a invenção da moeda.

No entanto, em tempos atuais de grandes crises e dificuldades financeiras, ou até mesmo da busca de uma renda extra para complementar o salário do mês, muitas pessoas estão apostando novamente no poder da “economia compartilhada”. E ela dá certo!

A economia do compartilhamento está mudando não só o modo como entendemos oferta e demanda e a nossa relação com os bens materiais, mas também nossas relações pessoais. E o avanço tecnológico crescente só aumenta as possibilidades de engajamento e encorajamento entre as pessoas e o uso dessa economia.

Conheça alguns projetos que usam a economia compartilhada e como ela está transformando e conectando diferentes pessoas:

1) UBER
Serviço de “carona” que conecta passageiros à motoristas

A vida de Renata Gomes de Freitas mudou muito desde que ela trocou o antigo emprego de atendente de relacionamento ao cliente em um e-commerce para ser motorista na plataforma UBER, conquistando sua maior necessidade: a flexibilidade de horários.

“Não tenho compromisso nenhum com o Uber, nem mesmo horas mínimas a cumprir. Posso fazer o que quiser com meu horário e ficar offline no aplicativo quando tiver algum compromisso ou imprevisto”. Comenta Renata em entrevista dada ao site Finanças Femininas.

Confira a matéria completa sobre a mudança de vida de Renata e sua relação com o UBER: http://bit.ly/2b1g3uj

2) FLEETY
Serviço de aluguel de automóveis que conecta donos de carros e motoristas.

Que tal alugar aquele carro que está parado na garagem, seja em dias específicos ou épocas do ano diferentes?

“Hoje, pelo Fleety, eu posso ter acesso a uma caminhonete pra fazer minha mudança, um carro de luxo pra um casamento ou um carro simples pra viajar. Eu posso ter qualquer carro, sem necessariamente ter um” explica Guilherme Nagüeva, designer de usabilidade da startup Fleety.com

Economia Compartilhada fonte de renda
Fleety
André Marim, um dos fundadores do Fleety.

 

3) AIRBNB
Serviço de hospedagem que conecta anfitriões à hospedes

A plataforma de hospedagens online AIRBNB é uma grande rede de hotéis sem possuir nenhum hotel. Ela conecta anfitriões que estão oferecendo suas casas para hóspedes que estão de passagem pela cidade (pelo tempo que elas determinarem).

O site SUPER ANFITRIÕES, comandado por Lucas Herdy, oferece muitos conteúdos sobre a plataforma, mostrando como você pode aumentar sua renda ao máximo com esse serviço de hospedagens.

Confira só: http://superanfitrioes.com.br/

 

4) DINNEER
Serviço de compartilhamento de jantares que conecta visitantes à anfitriões

O Dinneer.com alia a gastronomia às relações sociais, onde o anfitrião economiza na hora da janta, dividindo os custos com o visitante, e também possibilita aumentar sua renda com a experiência que proporciona  a ele.

“Antes eu trabalhava como cozinheira em uma grande rede de restaurantes aqui da Austrália, quando comecei a organizar meus próprios jantares – que inclusive viraram também incríveis almoços no fim de semana – e a lucrar mais com isso. Organizava o meu tempo, as minhas finanças e ainda trocava muitas histórias com quem visitava minha casa”. Declara a anfitriã Larissa Aquino, que reside na Austrália há apenas 11 meses.

Aposte você também na economia compartilhada oferecendo deliciosas refeições para outras pessoas.

TORNE-SE UM ANFITRIÃO!

 

Deixe seu comentário